Rodrigo Lampreia e Trio Melim

O Vivo Rio traz dois shows imperdíveis para refrescar a alma no verão carioca: Rodrigo Lampreia que iniciou sua  carreira dividindo o microfone com a pop-star britânica Amy Winehouse em Londres e o Trio Melim. Saiba mais.

Neurótica

Quem não tem na vida uma amiga ou parente neurótica? Esse foi o ponto de partida para Flávia Reis mergulhar no universo cômico das personagens do seu monólogo, em cartaz às segundas no Teatro dos 4.  Saiba mais.


 
 
   
   

Fixe o mouse sobre a imagem para uma total visualização.


 
 
 
Teatro / Musical       

 

Teatro / Comédia                 
Rapsódia - o Musical Acabou o Pó

Com uma pegada que promete agradar aos fãs de Rocky Horror ou Sweeney Todd, o revival de Rapsódia – O Musical, apresentado pela primeira vez em 2013, volta aos palcos repaginado. Com novas canções e direção, ele ganhou um ar mais contemporâneo. A peça traz a história de um jovem sonhador que viaja para a cidade de Rapsódia a convite do seu primo mais velho, dono de uma fábrica de sabonetes. Lá ele conhece alguns funcionários bem excêntricos e ao longo da história, é descoberto um porão abandonado que esconde um segredo bem macabro. Texto e direção de Mau Alves. Com Anna Claudiah Vidal, Camila Matoso, a drag Velma Real, Isabela Quadros, Malu Cordioli, Clara da Costa, César Viggiani, Robson Lima e Vitor Lima.

Uma divertidíssima comédia inspirada em situações cotidianas vivenciadas por duas donas de casa do subúrbio carioca. "Acabou o Pó" é baseado no estilo besteirol, bem peculiar às comédias dos anos 1980. que mostra as histórias de duas vizinhas que, em meio aos seus afazeres domésticos, encontram tempo para fofocar. A peça, que já teve uma montagem em 2015 repete agora no centro da cidade, o sucesso alcançado em dezembro no teatro Candido Mendes em Ipanema. No elenco, Anderson Cunha e Celso André, impagáveis em cena, mostram com muito humor para público a humanidade das personagens, além de fazer uma reflexão crítica sobre os temas retratados em cena. Texto: Daniel Porto. Direção: Daniel Dias da Silva.

Teatro Serrador - Rua Senador Dantas, 13 - Cinelândia. Tel.: 2220-5033. Quintas, sextas e sábados às 19h30. Ingressos: R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia). Classificação 16 anos. Duração: 70 min. Até dia 16 de fevereiro.

Teatro Dulcina - Rua Alcindo Guanabara, 17- Cinelândia. Tel.:  2240-4879. Domingos e segundas às 19h. Ingressos: R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia). Classificação Livre. Duração: 90 min. Até dia 11 de fevereiro.


Teatro / Musical                            

 

Teatro / drama Musical     
Querido, Eu Aqui Jaz Henry

Depois de se apresentar, com ingressos esgotados em todas as sessões, na Mostra de Teatro do Zimba, em dezembro, o espetáculo está de volta em fevereiro. A montagem, que conta com um elenco de 31 atores e banda ao vivo, mistura show musical, teatro e dança tratando de assuntos que envolvem o universo adolescente e suas adaptações até a vida adulta. Na peça, no ano 2008, um grupo de adolescentes escreve cartas para o futuro com suas expectativas e sonhos para a próxima década. Cada um seguindo o seu caminho, na medida em que o tempo passa, eles vão descobrindo que nem todo sonho é um sonho e nem toda expectativa se transforma em realidade. Dramaturgia e direção: Rohan Baruck. O texto é uma criação coletiva de Rohan Baruck, Duda Nogueira, Pedro Lobo, entre outros. Grande elenco.

Escrita pelo autor canadense Daniel MacIvor, conhecido no Brasil pelas peças In On It, À Primeira Vista e Cine Monstro, a peça. que teve sua temporada subitamente interrompida com o fechamento do Teatro Eva Herz  no centro,  fala sobre a impermanência do ser humano, as dores e amores nas relações, homossexualidade e morte. “MacIvor tem uma maneira particular de escrita, uma dramaturgia não linear, meio ‘torta’, dissonante, mas que no final faz todo o sentido. Com figurinos de Claudio Tovar e visagismo de Leopoldo Pacheco, a peça apresenta um homem que tenta explicar uma série de fatos sobre a existência humana. Nem ele mesmo sabe o que é verdade - e nem teria como saber - porque mente a respeito de tudo, até sobre a própria mentira. Dramaturgia: Daniel Brooks. Direção de Clarissa Freire.

Teatro Municipal Ziembinsky  - Rua Heitor Beltrão, s/n˚ - Tijuca. Tel.: 3234-2003. Quintas e sextas, às 19h30; sábados e domingos, às 16h. Ingressos: R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia). Duração: 100 minutos.  10 anos. Até dia 28;02

Teatro Cândido Mendes -  Rua Joana Angélica, 63 - Ipanema. Tel.: 2525-1000. Quartas  e quintas, às 20h. Ingressos: R$ 50 (inteira); R$ 25 (meia)). Duração: 65 minutos. Classificação: 16 anos. Até dia 28 de fevereiro.

Prestigie o nosso teatro e preserve a nossa cultura.

 

ENTRE PARA O NOSSO GRUPO NO WHATSAAP E CONCORRA A INGRESSOS GRATUITAMENTE. (21) 98481-5382

Este site é melhor visualizado na resolução padrão de 1366 x 768 pixels.
Showguide Tix
® 2001-2018 - Todos os direitos reservados